Seja Você!

Estava eu lendo “O Retrato de Dorian Gray” e me deparei com situações muito atuais, mas uma delas me chamou mais atenção. Chamou atenção por ser tão comum a mim e a minha história de vida.

Lá vou eu abrir meu coração…

Até pouco tempo atrás eu tinha o PÉSSIMO hábito de querer me “moldar” a quem me relacionava.

Isso acontecia inconscientemente e quando eu percebia já era tarde demais. Jurava que tinha aprendido a lição após o término de meu último relacionamento e que nunca mais cairia no mesmo buraco. Pois bem…

Um belo dia, um cara muito bacana, me disse o seguinte: “Por que você está tentando ser quem não é?”

Foi a coisa mais dura e mais romântica que alguém já me disse ao mesmo tempo.

A mais dura porque eu estava me enganando mais uma vez e achava que nunca mais faria isso comigo. E a mais romântica porque pela primeira vez na vida alguém teve a coragem de me falar isso.

Não estamos juntos, mas sou muito grata a ele.

E o que tem Oscar Wilde a ver com isso? Bem, em sua obra, Dorian Gray se apaixona por Sibyl Vane, uma atriz que interpreta várias personagens femininas de Shakespeare em um teatro de quinta categoria em Londres.

Ele declara seu amor por ela e a pede em casamento. Logo após o pedido, vai ao teatro com seus amigos para prestigiá-la mais uma noite e apresentá-la a eles.

A garota nesta noite fez a pior apresentação de sua vida, ela que era uma atriz excepcional. Os amigos de Dorian vão embora antes do final da peça. Ele, arrasado, vai até seu camarim para tentar entender o que havia acontecido.

Ela diz que o amor que sentia por ele era tão grande que ela já não conseguia mais amar o teatro como amava antes. Que agora, toda sua atenção e amor eram dele.

Dorian fica extremamente decepcionado e diz que a amava justamente pela atriz que era. E que sem isso, já não era mais a mesma mulher que ele tanto admirava e desfaz o noivado.

Ele vai embora, ela se mata.

Como podem ver não me matei…mas já sofri bastante.

Eu me dedicava tanto aos meus relacionamentos, sabe relacionamento “Casas Bahia”? Dedicação total à você? Que quando o tempo passava já nem me reconhecia mais.

Quem nunca?

Pois bem, a primeira publicação da obra de Oscar Wilde é de 20 de junho de 1890, ou seja, esse é um erro que nos persegue sabe-se lá há quanto tempo e não aprendemos a lição.

A admiração é um dos principais pilares de uma relação. Quando ela deixa de existir, o encanto vai embora e os laços que mantinham as pessoas unidas se desfazem.

Portando sejamos quem realmente somos. Seja em nossas relações amorosas, familiares ou em nossas amizades. Que esse desejo de agradar o outro e essa mania de amar o outro mais do que a nós mesmos e a sua própria vida se afastem e que sejamos quem somos.

Hoje acho graça das minhas histórias, viraram aprendizado.

E decidi abrir aqui meu coração para quem estiver sofrendo com isso também.

Com carinho e gratidão,

Carla Rubio

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *