Saber sair com dignidade

1,2 e 3 #rogerinquieto chegou…

Além da mulherada, quantos marmanjos vieram falar comigo do último post sobre traição virtual! E não foi somente devido a gata da foto. Prometo que irei rever meus conceitos e mais ainda voltar a falar sobre este assunto, afinal como muitos manifestaram, que se está surgindo esta vontade de conhecer outra pessoa, mesmo que virtualmente é necessário terminar e sair do relacionamento… Eis que surgiu minha inquietação da semana, como saber a hora certa de sair de uma situação?

Primeiramente vamos sobrevoar as manifestações que aconteceram no último Domingo, independente de seu posicionamento político não da para passar despercebido por este assunto. Milhões de pessoas foram às ruas a favor do impeachment da nossa presidente. Meus queridos, o que tem se visto por aí é que o Partido dos Trabalhadores, o PT, virou uma quadrilha e contra fatos não há argumentos, acho que “nossa presidente” deveria em favor da democracia e restando um pouco de dignidade renunciar ao cargo, sinceramente gente não dá mais!

Está mais do que comprovado que este governo não pode mais ficar e por falar em governo nosso ilustre daqui de São Paulo e qualquer outro devem sair se não estiverem dando conta do recado. E por falar em dar conta de trabalho, no mundo coorporativo muitas vezes acontece isso, na hora da contratação é uma beleza e com o passar do tempo descobre-se que não é nada do combinado ou mudam–se os objetivos e ao invés de encerrarem, as partes vão até esgarçar e o rompimento acaba sendo cruel.

Qual o problema de encerrar um ciclo quando este ainda por mais que apresente problemas ainda existe um pouco de respeito?

E voltando a falar sobre relacionamentos…

“Mas quando for a hora de ir embora sei que, sofrendo, deixarei você longe de mim. Não me envergonharia de pedir ao seu amor esmola, mas não quero que meu verão resseque o seu jardim” Fernanda Young.

Todos nós já vivemos, uns mais longos, outros mais curtos, mas chega um momento que a crise se instala e se as partes discutem, entendendo como possibilidade o fim, ao fim ele tende. E para que adiar? Sabe aquele velho ditado “dar murro em ponta de faca”!? Até que ponto vale ficar tentando, tentando …

Acredito que estamos sempre mudando seja de dentro para fora ou de fora para dentro e feliz ou infelizmente algumas pessoas não mudam. Temos que saber constatar isso e ter coragem de olhar nos olhos da outra pessoa e dizer:

-Acabou !

E desculpe nossa maravilhosa cantora Maysa, seu mundo não vai cair, existe infinitas possibilidades…

É difícil, mas temos que sempre dizer a verdade, pois seja em uma relação comercial ou amorosa existe algum sentimento envolvido e para preservar isso nós temos o dever de sair com dignidade.

Falaremos mais sobre este assunto … #rogerinquieto

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *