Pós-parto e seus segredos

A maioria das mulheres se preocupa com o enxoval do bebê ou se prepara para o parto, mas após algumas semanas a mulher se depara com um bebê saudável nos braços, mas que se comunica de uma maneira que ela não pode entender. O bebê chora e a mulher tenta procurar respostas. E agora?!

awá-por-sebastião-salgadoO recém-nascido humano nasce com cérebro ainda muito imaturo. Diferente de outros mamíferos a nossa cria é incapaz de andar e de se alimentar sozinho. Nossos bebês são extremamente dependentes e necessitam de cuidado constante. Em algumas culturas primitivas as mães carregam os bebês junto a seu corpo com um pano amarrado todo o tempo, isso faz com que os bebês dessas culturas pouco chorem, não tenham a famosa cólica e possam mamar a todo momento pois tem livre acesso ao seio.

Na nossa cultura preparamos um berço e quarto para o bebê ficar sozinho, entretanto não há muita lógica em se colocar um recém-nascido dependente em um quarto desacompanhado. Muitas famílias se frustram no pós-parto porque esse recém-nascido só dorme no colo, chora quando é colocado no berço e só quer ficar sugando o peito da mãe. Hoje vamos dar algumas dicas simples que podem facilitar a adaptação do bebê à vida extrauterina que ocorre nos 3 primeiros meses de vida.

Cama Compartilhada: Colocar o bebê no quarto dos pais é uma ótima estratégia para aliviar o estresse e preocupação da mãe. A mãe se sente mais segura tendo seu bebê ao seu lado e podendo amamentar sem necessitar levantar ou sentar em sofás de amamentação. Para essa proximidade pode ser colocado um bercinho ao lado da cama do casal. Um estudo realizado pelo Departamento de Neurologia da Universidade da Califórnia chegou a conclusão que dormir junto com o recém-nascido melhora a qualidade do sono dos bebês, diminui o número de vezes que acordam à noite e, mais importante, diminui os riscos de morte pela síndrome da morte súbita do recém-nascido.

baby-bay-berco-bebe-1024x1024

 

 

Uso de Sling: O uso de Sling traz ao recém-nascido a sensação de estar novamente ligado ao corpo da mãe ativando o reflexo da calma no bebê, além disso reduz cólicas, refluxo e melhora a digestão pelo movimento constante e a posição vertical. Também os bebês que são carregados choram menos e dormem mais o que é importante para o desenvolvimento cerebral e emocional. Carregar o bebê melhora a sua habilidade motora, coordenação, tonificação muscular e senso de equilíbrio. Para aqueles bebês que necessitam estar sempre no colo da mãe é uma boa maneira de oferecer essa necessidade da criança e deixar a mãe com braços livres para suas atividades. Além disso a mulher pode revezar o uso do sling com seu companheiro para descansar.

wrap-sling-rosa-pink

 

Enrolar e embalar o bebê: O famoso pediatra americano Harvey Karp descreveu uma técnica para acalmar os bebês baseada na vida intrauterina através de 4 passos. O primeiro passo é enrolar o bebê: no útero ele fica apertadinho, na posição fetal, envolvido por uma parede uterina morninha, mas após o nascimento os bebês podem se sentir inseguros e assustados em estarem “soltos demais”. A dica é enrolar o bebê nos momentos em que não esta no colo da mãe. Apertadinhos, de forma que não mexam os braços, recebem um carinho suave e se sentem mais protegidos. O segundo passo seria virar a criança de lado ou com a barriga tocando no braço do adulto. O terceiro passo seria balançar: no útero o bebê estava sendo balançado para frente e para trás a maior parte do tempo com os movimentos da mãe. A dica é balanços rápidos e curtos. Esse movimento rítmico é a melhor forma de acalmar bebês porque o balanço ativa as sensações de movimento dentro dos ouvidos, que por sua vez ativam o reflexo de calma. O quarto passo seria o “shhh”: na barriga o bebê estava ouvindo constantemente um barulho “shhhh shhhh”, mais alto que o de um secador de cabelo. É som do coração e dos intestinos da mãe. Para os recém-nascidos esse “shhh” é o som do silêncio. Aproxime sua boca 20 cm de distância dos ouvidos do bebê e faça “shhh”, “shhh”. Aumente o volume do “shh” até ficar tão alto quanto o choro do bebê.

80402476_XS

 

Cadeira de Balaço: Nos momentos em que o recém-nascido não pode ficar no colo de alguém uma ótima opção são carrinhos confortáveis ou cadeiras que balançam sozinhas. Primeiro enrole o bebê depois o coloque na cadeirinha e após ligue o balanço.

 

14355-MLB2977462507_082012-O

Banho de Balde: O banho de balde é muito mais prático para mãe e evita aqueles intermináveis choros durante o banho. O objetivo é deixar o bebê imerso até a altura do peito para relaxar a criança. Além disso pode prevenir e melhorar as cólicas. O banho pode ser ainda mais gostoso se colocando ervas na água. Primeiro é preciso fazer o chá, peneirar e depois misturar com a água para acertar a temperatura que não deve ultrapassar 38 graus. Algumas sugestões são: camomila, calêndula, aveia e hortelã cada uma com seu efeito terapêutico.

g_c2-dicas-abre635478040648799240

 

O puerpério, mais conhecido como pós-parto, é um descobrimento. Descobrimento da mãe que você é agora, muitas vezes bem diferente daquilo que você havia idealizado. Também é um descobrimento desse novo ser que chegou a família e muda a vida de todos. É um tempo curto, a adaptação leva cerca de 3 meses, mas que precisa de paciência e muito afeto. Muitos confundem dar afeto com mimar um bebê, mas quando um bebê pede colo ele está reconhecendo que você é a segurança dele. Quando você nega esse colo ele pode se acostumar com a negligência e resignar-se. Mas ele não está feliz. Ofereça o afeto e atenção que seu bebê esta solicitando e verá, depois de um dia exaustivo, o sabor de receber o primeiro sorriso. E se admirar  ao ver seu bebê crescer e engordar, apenas com seu leite e carinho!

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *