Melasma

O melasma nada mais é do que uma área da pele mais pigmentada que as demais. Ocorre exclusivamente em áreas expostas ao sol, principalmente em mulheres jovens com fototipos mais altos*.
foto-1

Dra Anna Cecília Andriolo explica sobre os tratamentos para o Melasma

A causa exata do melasma não é conhecida, mas sabe-se que a exposição solar e a predisposição genética são os fatores mais implicados no seu aparecimento. Acredita-se que algumas células produtoras de melanina (responsável pelo pigmento na pele) são mais funcionantes do que o normal e, quando expostas ao sol, trabalhem mais avidamente produzindo mais pigmento e portanto áreas de manchas escuras na pele.
Existem também alguns fatores agravantes do melasma: uso de anticoncepcionais orais, gravidez ou tratamentos com hormônios (estrógeno e progesterona); disfunções da tireóide, anticonvulsivantes e alguns cosméticos.
Em geral, apresentam-se como placas amarronzadas na face, pescoço e colo.
O dermatologista possui mecanismos para tentar avaliar a profundidade do melasma, ou seja, se o excesso de pigmento está nas camadas mais superficiais ou profundas da pele. Quanto mais profundo o melasma, mais difícil é o seu tratamento.
O tratamento do melasma é difícil e requer comprometimento do paciente, visto que o melasma não tem cura e sim controle. Uma vez clareada a pele, se a pessoa se expõe novamente ao sol, provavelmente vai apresentar recidiva do quadro.
O pilar mais importante do tratamento é portanto o uso regular de filtros solares. A frequência de uso durante o dia e o valor do fator de proteção (FPS) mais indicado para cada tipo de pele devem ser cuidadosamente avaliados pelo dermatologista. Deve ser usado mesmo nos dias nublados, dentro de casa, no escritório e etc.
 foto
Para auxiliar a remoção das manchas podem ser usados cremes com agentes despigmentantes com diferentes mecanismos de ação. Alguns devem ser usados apenas à noite e retirados pela manhã, outros podem ser usados durante o dia, antes do filtro solar.
Além dos cremes, podem ser realizados os peelings químicos, o uso de nutricosméticos com antioxidantes e outras substâncias que diminuem o dano solar, a luz intensa pulsada, e alguns tipos de laser. Cada tratamento contribui com uma ação específica na remoção da mancha. Durante a consulta o dermatologista propõe o melhor tratamento de acordo com a quantidade e profundidade das manchas , estilo de vida, urgência no tratamento e situação sócio-econômica do paciente.
Importante citar que a camuflagem com maquiagens específicas é importante durante o tratamento e auxilia na recuperação da auto-estima dos pacientes.
A dica para o verão é se proteger com:
1- filtro solar indicado para o seu tipo de pele.
2- uso de bonés, chapéus, guarda-sol, roupas com fator de proteção impregnada no tecido
3- evitar exposição solar nos horários de risco (10:00 às 16:00h)
4- conversar com seu dermatologista sobre nutricosméticos

*Existe uma classificação para os tipos de pele segundo Fitzpatrick:

Fototipo I – Branca – Sempre queima – Nunca bronzeia – Muito sensível ao Sol

Fototipo II – Branca – Sempre queima – Bronzeia muito pouco – Sensível ao Sol

Fototipo III – Morena clara – Queima (moderadamente)– Bronzeia (moderadamente) – Sensibilidade normal ao Sol

Fototipo IV – Morena moderada – Queima (pouco) – Sempre bronzeia – Sensibilidade normal ao Sol

Fototipo V – Morena escura – Queima (raramente) – Sempre bronzeia – Pouco sensível ao Sol

Fototipo VI – Negra – Nunca queima – Totalmente pigmentada – Insensível ao Sol

 

 

Até a próxima pessoal!!

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *