Filme “Embaraço” estreia em Festivais com indicações e prêmios

Olá leitores! Tudo bem com vocês?

Hoje escrevo pra falar de uma das coisas que mais amo fazer. Atuar! Divido com vocês um pouco da experiência, na verdade uma grande honra, que tive há alguns meses, de participar do curta metragem “Embaraço”, do diretor Fernando Rick. Aliás a felicidade começou quando recebi o convite. Afinal produzir e dirigir cinema é um grande desafio e o diretor Fernando Rick ao lado da produtora executiva Vivian Stychnicki confiaram a mim a empreitada dessa personagem excepcional!

amanda em cena em Embaraço

Sabe aquele presente que toda atriz gostaria de ganhar? Pois é… Fiquei com frio na barriga logo ao ler o roteiro. O filme aborda com maestria e profundidade dois temas bastante delicados: O aborto e as consequências, emocionais e físicas, de uma gestação não planejada. Nele, interpreto a personagem Angélica, que vive todo o drama e desespero de uma jovem ao descobrir uma gravidez indesejada, sem uma relação ou condições financeiras estáveis. Sozinha, angustiada e sem acesso a “recursos” mais confiáveis a personagem busca soluções alternativas e, entre inúmeras tentativas, sofre terríveis consequências.

Amanda em cena no filme Embaraço

Em uma sociedade que não reconhece o aborto por questões culturais, legais e religiosas, tirando da mulher a autonomia de decidir sobre o próprio corpo, o curta de 20 minutos, conta com cenas fortes e marcantes, que causam impacto no público. A trama se aprofunda, em vários momentos, no trauma psicológico sofrido pela personagem durante toda a gestação indesejada, remetendo à situação vivida por tantas mulheres diariamente, de uma forma muito dura. A direção de arte excepcional da Dani Bevervanso e a maquiagem da Dri Chepezan são extremamente importantes nessa etapa, à medida que a personagem e seu apartamento começam com um aspecto claro e se deterioram ao longo da história.

Amanda em cena em Embaraço

Preciso destacar o trabalho impecável dos preparadores de elenco Alethea Ruas e Michel Dubret que me deram as ferramentas para explorar meu repertório com a liberdade e confiança que o diretor Fernando Rick trabalhou comigo e com toda a equipe. O olhar dele foi fundamental para contar essa história com dramaticidade e riqueza de detalhes chegando a um resultado difícil de descrever, o gênero fantástico é o que melhor se aproxima, flertando como o horror, surrealismo, suspense e crueza, que só foi possível pois vivemos em um país onde o aborto é proibido e permite que acompanhemos essas histórias por janelas quase voyers.

(No filme "De olhos bem fechados" Nicole Kidman em entrevista é questionada como conseguiu fazer aquela cena da janela tão real onde parecia que tinha chorado a noite inteira, ela responde: "Chorei a noite inteira").

(No filme “De olhos bem fechados” Nicole Kidman em entrevista é questionada como conseguiu fazer aquela cena da janela tão real onde parecia que tinha chorado a noite inteira, ela responde: “Chorei a noite inteira”).

Como já disse a personagem foi um grande presente, que me permitiu experimetar os sentimentos que levam a medidas desesperadas, sem julgamento e, ao mesmo tempo, me fez refletir sobre as condições da mulher em uma sociedade machista. Uma solidão difícil de traduzir. Nesse trabalho, tive a oportunidade de dividir o set com grandes profissionais na técnica, e sob as lentes estive com meu parceiro pela segunda vez em cena, Eduardo Pelizzari, sempre um grande prazer trabalhar com ele. Aliás a cena com ele era a que mais me preocupava mas ficou de um bom gosto e de uma sutileza que só grandes diretores como o Rick são capazes de arquitetar.

Amanda Pereira em cena em Embaraço

O filme vem sendo considerado pela crítica o melhor trabalho do diretor Fernando Rick, que o classifica como minimalista, já que a idéia inicial parte de uma única atriz, em um único cenário. “Embaraço” já foi indicado para Festival de Cinema de Bogotá, principal festival da Colômbia, para o NAU – Festival de Cinema e Artes de Expressão Ibérica, em Portugal, Festival Cultural Mondo Estronho- 3ª Edição em Curitiba, Lakino em Berlim, Mostra Competitiva de Curtas do Fantaspoa 2016 e vários outros. E eu, vejam só, na minha estreia no cinema concorri ao prêmio de melhor atriz pelo Festival Internacional de Cinema Independente, Festicine. Ganhei o prêmio de melhor atuação geral pelo Morce-GO – Goiás Horror Festival!!! O que foi uma grande honra e uma super emoção. Porque eu não esperava indicação, prêmio, nada disso… O prêmio maior foi a oportunidade de um trabalho tão bem feito, tão cheio de brilho nos olhos dos envolvidos. Agora seguimos indicados também no Festival Internacional de Cinema Fantástico do Rio de Janeiro, e que venha muito mais!

Amanda em cena Embaraço

 

Amanda Pereira em cena em Embaraço

 

Vejam o trailer.

E algumas críticas:

Paulo Blob

Erick Cavalcante

Continuem acompanhando as novidades, por aqui e pelas minhas redes!

Muito obrigada pela companhia e carinho. E meus mais sinceros agradecimentos a todos os envolvidos e aos queridos Beto Belini e Érika Barbosa que possibilitaram esse encontro.

Beijos,

poster-completo Embaraço

 

 

You May Also Like

1 comment

  1. 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *