Dezembro: o mês da “jaca”?

A close up of a measuring tape around Santa's big belly.

Dezembro passou a ser mais sinônimo de desespero do que de alegrias. Digo isso porque muita gente já começa o mês pensando na comilança das férias, na fartura do Natal e na bebedeira do Réveillon. Mas será que o que mais importa é isso?

Te convido a pensar de maneira mais leve. Esqueça todas aquelas frases prontas de #focoforçaefé que te fazem sentir culpada e esqueça também aquela sombra que te persegue dizendo que “dezembro é um mês inteiro de jaca”. Você nem sabe qual será o cardápio das ocasiões em que irá participar e já está decretando que irá se matar de tanto comer? Ou já está determinando que irá “sair da dieta”?

Gente, dieta não é sinônimo de tortura! Se você não pode aproveitar um momento em família ou uma confraternização entre amigos sem comer o que você gosta, de que adianta comemorar? Os encontros de fim de ano representam tanta coisa além da comilança, que a essência disso tudo ficou perdida por aí. É tanta preocupação com “engordar”, “comer besteira” e “ser fitness” que o que vale mesmo à pena acabou ficando em segundo plano. Portanto, tenho algo a propor a você neste final de ano: chega de viver em função desses medos e dessas classificações de “alimento saudável” ou “alimento não saudável”. No meu ver, o que eu considero alimento saudável vai muito além da composição nutricional. E é por isso que trago a comparação de “alimento saudável X experiência saudável”. Será que a ceia de Natal na casa da avó irá te fazer engordar só de pensar nela ou será que a experiência de comer algo feito com tanto carinho, repleto de afeto e de convivência em família não é mais importante?

Pense sobre esse aspecto também. Mas pense DE VERDADE. Você verá o quanto os medos e angústias relacionados à dieta ficarão menos presentes nos próximos dias. E digo mais: tente fazer esse exercício não só em dezembro de 2016, mas na sua vida! A partir do momento que você age com tranquilidade quando o assunto é comida, você acaba se tornando mais saudável e pode até mesmo perder os quilinhos a mais que você tanto quer se ver livre. Gosto muito de uma frase e uso todos os anos: “o que engorda não é o que você come entre o Natal e o Ano Novo, e sim o que você come entre o Ano Novo e o Natal”. E não é verdade? Muita gente se preocupa com esse pequeno período de fim de ano e esquece que os hábitos cultivados no ano todo é que, de fato, fazem uma diferença significativa.

Sendo assim, aproveite as festas sem refeições exageradas, mas também (e principalmente) sem medos exagerados! Que vivamos com mais alegria e mais simplicidade. Viva a comida saudável de verdade, com todo o afeto e a alegria envolvidos! Desejo um excelente fim de ano a você, com muita leveza e muita alegria! Feliz Natal!

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *