Acne da Mulher Adulta

Vamos falar um pouquinho sobre um problema que atinge várias mulheres com mais de 18 anos: a Acne da Mulher Adulta!
A acne pode acometer um grande percentual dos adolescentes e persistir durante a vida ou simplesmente surgir numa idade mais avançada (acne da mulher adulta).
Quando aparece após a adolescência, geralmente existe uma causa secundária relacionada que pode ser desde alterações hormonais até causas mais simples como o uso de cosméticos inadequados ao tipo de pele (acne cosmética) ou acne após exposição solar.
O mais importante é descartar as alterações hormonais, como por exemplo, a síndrome dos ovários policísticos. Além desta, outras síndromes e desordens hormonais podem levar a um aumento dos hormônios androgênicos (masculinos), levando ao quadro de acne.
Muitas vezes os exames laboratoriais mostram níveis normais dos hormônios androgênicos e o que acontece é uma maior sensibilidade da pele a estes hormônios.
shutterstock_124292959-620x360Clinicamente, as lesões costumam ser mais profundas formando nódulos avermelhados, doloridos, e até mesmo pústulas (lesões com pus). As áreas mais atingidas são o queixo, mandíbulas e pescoço, diferentemente da acne do adolescente que tem uma distribuição mais uniforme no rosto. Os cravos fechados (brancos) são mais frequentes que os abertos (pretos).

O desbalanço dos hormônios masculinos pode levar também ao aumento da seborréia, irregularidade menstrual e queda de cabelos (nas mulheres que possuem alopécia androgenética). Esses sintomas devem ser pesquisados na mulher adulta com acne.

O tratamento depende da causa:

1. Na acne cosmética deve ser feito o ajuste dos cremes e maquiagem adequados à pele da paciente.

2. Na acne pós sol o tratamento é sintomático (com produtos tópicos ou orais que serão usados enquanto o quadro persistir) e orientações em relação à exposição solar.

3. Na acne de causa hormonal o tratamento deve ser direcionado ao problema individual de cada paciente. Contraceptivos orais com anti-androgênicos, bloqueadores dos receptores hormonais e outras estratégias podem ser utilizadas, bem como antibióticos tópicos, orais e a isotretinoína.

É importante, pois, a avaliação do dermatologista para a correta identificação da causa e posterior tratamento, que é individualizado. O sucesso terapêutico se baseia numa harmoniosa relação médico/paciente com laços de respeito e confiança.

 

Espero ter esclarecido suas dúvidas!

Até a próxima!

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *