6 dicas para o cão e o gato terem bom convívio

Uma questão que causa muita preocupação entre donos de pets é quando precisam colocar debaixo do mesmo teto duas espécies diferentes: o cão e o gato.

Ao contrário do que muitos pensam, um não odeia o outro, apenas não foram apresentados de uma maneira tranquila e amigável.

Quando o cão é acostumado com o gato (e outras espécies) desde pequeno, as coisas andam normalmente, pois ambas espécies já fazem parte do conhecimento um do outro e não são vistas como ameaças.

Porém em muitas ocasiões, os donos precisam fazer com que cães e gatos se conheçam e aprendam a conviver de maneira respeitosa e tranquila. E a maioria das preocupações ocorre pois geralmente o cão já é adulto o que causa muito pânico nos donos.

Bom, pode ser que as coisas aconteçam de forma muito natural e tranquila tanto para os cães quanto para os gatos que as preocupações dos donos somem. Mas nem sempre é assim e as vezes a presença do gato incomoda o cão ou vice-versa.

Para tais situações, vamos seguir algumas orientações afim de minimizar possíveis incidentes:

1-  Deixe o (s) gato (s) fechado num cômodo qualquer. Chegue em casa com o cão preso a uma guia. Leve-o para conhecer a casa (sempre preso a guia). Após levar o cão pela casa, vá próximo ao cômodo que está o gato e deixe o cão cheirar por baixo da porta. Esse é o primeiro contato de ambos, o cão do lado de fora e o gato do lado de dentro;

2- Deixe o cão cheirar o local que os gatos dormem, assim ele se familiariza com o cheiro. Nesse momento, faça um carinho suave ou dê algo gostoso para o cão comer. Assim começamos a criar uma ligação boa em relação ao cheiro dos gatos.

A próxima etapa é mais delicada e requer mais atenção.

3- Coloque o gato numa caixa de transporte.  Com o cão na guia, prenda-o em algum local (sofá, porta etc.) isso é importante, pois iremos trazer o gato para uma apresentação mais direta.

Com o cão devidamente preso e seguro, traga o gato (na caixa de transporte, nada de pegar no colo, pois isso pode lhe causar diversos arranhões).

Coloque a caixa de transporte em cima de uma mesa.  Volte ao cão e leve-o para próximo da caixa. No momento que for se aproximando, vá dando algo que o cão goste de comer. Mais uma vez, estamos criando uma boa associação com o gato.  Vá bem devagar, pois se for muito rápido, o gato pode se assustar e fazer sons e gestos característicos que assustará o cão, isso não será legal.

Se o cão estiver se mostrando curioso, porém bem tranquilo com a presença do gato, então abra a caixa de transporte e deixe o gato tomar a decisão de sair quando quiser. Se ele estiver confiante e relaxado com a presença do cão, irá sair rapidamente.

4- Segure o cão pela guia, abra a caixa de transporte e afasta-se.  Deixe o gato sair da caixa sozinho. Mantenha a calma e o silêncio. Conforme o gato for saindo, observe a reação do cão, se ele estiver tranquilo, apenas curioso com o novo amigo, recompense-o com petisco ou carinho, isso reforça a ligação positiva entre eles. O gato sairá quando estiver confiante da situação.  Quando ele sair da caixa, vá se aproximando aos poucos com o cão, sempre observando a reação do cão e do gato, para saber quando parar, esperar, voltar e recomeçar.

Se ambos mostrarem um estado tranquilo, relaxado, então deixe o cão cheira-lo (sempre preso a guia, pois qualquer situação, você conseguirá tirar o cão de perto e recomeçar).

5- Sempre que possível, procure alimentar o cão na presença do gato. Isso reforça positivamente e o gato passa ser visto como algo bom e não uma “ameaça”.

6- Somente deixe-o sozinhos após muito processo de apresentação e se ambos já estejam se respeitando e tranquilos na presença um do outro.

 

Manter o silêncio, a calma e ter paciência são fundamentais.

 

Até a próxima,

Fernando Oliveira

www.consultorcanino.com.br

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *